Postado por Bianca Maddox EVENTO: Belo Funeral

Nosso site realizou dois eventos de lançamento de Belo Funeral no último mês de junho: um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, onde fomos representados pelo blog Saga Twilight Eternamente. Com a ajuda da nossa velha parceira, Verus Editora, e os novos parceiros: Misafontesretro & Personalizados, Inova Imagem: Crianção e Arte, Art Legal: Sublimação e Estampa, Notas Literárias, Armondesign, Imperio Convites e Lembrancinhas e Fnac Paulista, conseguimos realizar um evento cheio de brindes e sorteios para os fãs. Confira as fotos em nossa galeria:

Inicio > Eventos do Site > Evento de Lançamento: Belo Funeral – SÃO PAULO
Inicio > Eventos do Site > Evento de Lançamento: Belo Funeral – RIO DE JANEIRO

Postado por Bianca Maddox Especial: Happenstance parte 3

Com o intuito de que os fãs conheçam outros livros da Jamie McGuire (além da série dos Irmãos Maddox), no ano passado o site deu inicio a um especial onde “apresentaremos” os demais livros da autora. Começamos com o primeiro livro da trilogia Happenstance, onde os três receberam o mesmo título, com o diferencial de: Happenstance parte 1, parte 2 e parte 3. Hoje nós iremos apresentar a última parte da história de Erin e Wes, Happenstance 3.

Happenstance3

Sinopse:

Agora que Erin descobriu a verdade sobre as meninas que a torturaram, e sobre o menino que ela ama, ela encontra seu tempo antes da formatura diminuindo a um ritmo alarmante e emocionante. O que costumava ser férias de verão agora era uma contagem regressiva para seus últimos dias em Blackwell. Seus pais, Sam e Julianne lutam com o medo de que quando eles encontraram Erin, eles devem deixa-la ir, e a tensão esta mais elevada do que tem sido desde que Erin descobriu quem ela realmente era.

Finalmente com a garota que ele amou desde a infância, Weston torna-se mais desesperado com o passar dos dias de verão. Ele e Erin vão para faculdades diferentes. Seu maior medo é que isso signifique que eles vão seguir caminhos separados. Atormentado em fazer o melhor do tempo que lhe resta com Erin, e encontrar uma maneira de fazer isso durar, Weston se encontra em um estado de espírito diferente a cada hora. Ele está apenas começando a perceber que a esperança é como areia movediça.

Quanto mais Weston luta, mais rápido Erin afunda.

Quote:

FotorCreated

“Os fãs da história de Erin e Weston vão ficar felizes em ouvir que essa novella é o dobro do tamanho que os dois anteriores, e repleto de cenas emocionantes e perfeito para um desfecho satisfatório para essa série tão amanda.” – Jamie McGuire

Mesmo o terceiro livro sendo o dobro dos antecessores, a série é bem curtinha, e apesar do tema “pesado” que o livro aborda (o Bullying), a leitura flui muito fácil.

E em uma entrevista exclusiva com o nosso antigo blog (Travis and Abby), Jamie disse que já sofreu bullying quando criança e que para ela foi importante mostrar, através do livro, como uma pessoa ainda pode superar esse comportamento.

“Eu fui intimidada toda a minha infância, e eu sinto que em algum momento todos em suas vidas experimentam algum tipo de bullying. Foi importante para mim, mostrar como você pode ainda superar esse comportamento. Que você ainda pode ser uma pessoa adorável que ama a si mesma, em vez de tratar os outros mal, porque você estava sendo tratada assim, ou criticar a si mesmo, porque os outros são tão críticos a você. Espero que os leitores ao terminar Happenstance, deixem-se acreditar que eles são melhores do que a negatividade dos outros, e que não mereciam ser tratados mal e que o amanhã será melhor.” – Jamie McGuire

E uma linda-surpresa-curiosidade, é que a autora Abbi Glines teve uma pequena participação no desenvolvimento da história! Na época em que estava escrevendo o livro, Jamie postou em seu instagram uma foto da Abbi dizendo que a autora estava escrevendo uma cena em Happenstance 3!

capture-20140908-210458

E nesse post “Especial: Happenstance 3”, trazemos o primeiro capítulo do livro. Confira:

IR PARA CASA, APAGAR AS LUZES E SE MATAR.

Minhas pálpebras estalaram bem abertas e meus olhos dançaram ao redor do quarto escuro. Preocupação, medo e pânico retornando quando as paredes brancas nuas do quarto do hospital entraram em foco. Os números macios verdes no visor da bomba IV lançavam um brilho estranho quando recordei os acontecimentos do dia anterior.

Os paramédicos carregando Weston, afastando-o em uma maca do banco dos reservas foi o momento mais assustador da minha vida. As partes mais assustadoras voltaram várias vezes na minha mente. O inalador caindo da sua mão mole, sirenes da ambulância correndo para o hospital — estavam todos juntos lotando minha cabeça.

Fechei os olhos, colocando a horrível recordação e os sentimentos de lado. Respirações rítmicas de Weston e os apitos dos bips nos monitores levaram a tensão embora. Ele estava vivo. Tudo ia ficar bem.

Meu corpo encostado ao seu, eu estava consciente de cada centímetro da minha pele tocando na dele, que sua camisola hospitalar não cobria. Ele estava tão quentinho debaixo do cobertor de linho grosso, que a enfermeira tinha nos dado. Eu deitada, embrulhada nos braços de um rapaz que me amava, meu quadril já reclamando de estar na mesma posição por muito tempo.

Toques de um nascer do sol já estavam escorregando entre as cortinas e espantaram as trevas. Weston se mexeu, e silenciosamente desejei que a noite tivesse demorado um pouco mais.

Veronica Gates estava lendo uma revista na cadeira malva estofada do outro lado do quarto. Juntamente com seus óculos preto de leitura com armação retangular, ela estava usando a lanterna em seu telefone celular para ver.

Levantei minha cabeça, o que a levou a olhar para cima.

“Bom dia”, ela sussurrou, quase inaudível.

Não querendo arriscar acordar Weston, a única coisa que eu poderia oferecer era um pequeno sorriso. Quando minha cabeça relaxou suavemente contra o peito de Weston, seus braços me apertaram, e ele respirou profundamente.

Verônica conseguiu soltar uma risada silenciosa, e então ela se mudou para a cadeira de madeira sentando mais perto para a cama.

“Ele costumava segurar seu ursinho assim. Se eu tentasse puxá-lo para fora de seus braços depois que ele adormecia, ele cerrava os punhos.”

Ela cruzou as pernas e entrelaçou os dedos, olhando seu filho com amor incondicional. “Ele veio para casa do primeiro ano e com naturalidade tocou no assunto, ele disse a Peter e a mim, ‘Eu vou me casar,’ disse ela, imitando a voz de Weston. Ela soltou uma risada novamente, perdida na memória.

“Peter perguntou-lhe: ‘Quando?’ Weston disse, ‘Daqui a um tempo’, e então eu lhe perguntei, ‘Com quem?’ Ele disse, ‘Erin’.” Ela olhava para a minha reação. “No momento, eu pensei que ele quis dizer Alder, mas então ele me fez prometer nunca te contar essa história, e percebi que tinha me enganado.”

Minha respiração falhou.

“Isso foi há muito tempo. Eu não acho que ele se importaria agora.” Ela olhou para baixo para Weston e depois de volta para mim. “Estou feliz que ele quis dizer que era você, Erin. Eu não acho que eu te disse isso.”

“Tenho sorte que ele não desiste facilmente,” eu sussurrei.

Weston agitou-se novamente, e Veronica inclinou-se para mais perto para olhar melhor seu filho. Ele gemeu. “Erin”?

Veronica levantou uma sobrancelha e depois atirou um olhar em minha direção.

“Estou aqui”, disse.

Com os olhos ainda fechados, inclinou-se para baixo um centímetro ou dois para passar os lábios no meu cabelo. O sol iluminou o quarto suficiente para ver o que as sombras tinham escondido apenas dez minutos antes.

Weston suspirou. “Ótimo. Não vá embora.”

“Não irei”, eu disse.

“Nesse caso, é melhor eu ir buscar para você um café da manhã,” disse Veronica, em pé.

“Bom dia!” a enfermeira disse, com a voz muito mais alta depois de Veronica ter sido tão cuidadosa sussurrando com a dela. “Eu sou Amélia. Como se sente?” Seu uniforme rosa brilhante combinando com seu humor.

Veronica assistiu-a do canto da sala enquanto pegava sua bolsa e as chaves de uma cadeira.

Amélia tinha um montinho de tranças longas e brilhantes torcidas em um belo coque redondo no topo da sua cabeça, acrescentando pelo menos dez centímetros à sua altura e forma redonda.

Weston piscou os olhos sonolentos. “Uau, eu apaguei.”

“São os remédios,” ela disse. “Vou verificar os sinais vitais e depois esperar Dr. Shuart chamar. Aposto que ele vai te liberar hoje.” Ela piscou e acenou pra eu me levantar.

Eu obedeci, levantando da cama.

Weston franziu a testa. “Não vá embora.”

Veronica abanou a cabeça, divertida. “Ela disse que ela ficaria, filho, meu Deus.”

Ele me olhava com desconfiança. Qualquer calor que a história da Veronica tinha deixado comigo rapidamente desapareceu.

“É a sua namorada?” Amélia perguntou a Weston, principalmente provocando-o.

Weston não tirava os olhos de mim, esperando que eu respondesse.

“Ouvi dizer que ela tinha dormido metade da noite naquele sofá horrível na sala de espera e o restante, esmagada em sua cama. As enfermeiras da noite acharam isso fofo. Minhas costas não estariam felizes comigo. Não, senhor.”

Amélia disse, sacudindo a cabeça com o pensamento.

A máquina de pressão arterial foi inflada e Weston estremeceu quando apertou. Amélia colocou um clipe no dedo dele e parecia feliz com os números que não fizeram sentido para mim.

“Tudo bem?” Verônica perguntou.

Amélia assentiu com a cabeça. “Como se nada tivesse acontecido.”

Veronica soltou um pequeno suspiro. “Ele pode tomar café da manhã?”

“Sem dúvida.” Entregou-lhe um menu plastificado. “Só me avise quando decidir se quer mingau de aveia ou os ovos gordurosos.”

Pela expressão de Weston, eu poderia dizer que as escolhas do menu não eram tão atraentes. Amélia saiu do quarto tão rapidamente como entrou, incitando Veronica a deslizar sua alça da bolsa por cima do ombro.

“Eu só vou pegar alguma coisa para todos nós. Eu vou descer ao Braum’s para biscoitos e molhos.”

Weston animou-se.

“Eu vou com você”, eu disse.

“Não, você deve ficar”, disse Weston.

Veronica caminhou alguns passos para beijar a bochecha do filho e depois agarrou as chaves. “Vou ligar para o seu pai e avisa-lo que você está acordado”. Os olhos dela caíram sobre mim. “Você vem?”

Pela expressão de Weston, eu podia ver que ele queria aproveitar a oportunidade para falar a sós. Olhei para Veronica e assenti com a cabeça.

“Certifique-se de me ligar, se o Dr. Shuart vier,” ela disse.

“É claro”, eu disse.

Ela entrou no corredor, olhou para os dois lados e então virou à esquerda em direção os elevadores. Sua voz mal podia ser ouvida quando cumprimentou as mulheres no posto de enfermagem, e poucos momentos depois, o elevador tocou, sinalizando a sua chegada ao andar.

Fiquei no canto onde tinha ficado a enfermeira, observando quando Weston colocou um pulso atrás de sua cabeça com uma expressão indecifrável no rosto.

“Biscoitos e molho parecem muito bom.” Na mesma hora, meu estômago roncou, e toquei na minha camisa branca com as duas mãos.

“Você ficou aqui toda a noite,” ele disse, não era uma pergunta.

Eu assenti com a cabeça e cruzei meus braços sobre minha cintura, imaginando o que ele queria dizer que tinha de esperar até sua mãe sair.

Ele olhou para baixo em direção aos pés, perdido em pensamentos. “Você pode mentir para mim. Eu não vou culpar você.”

“O quê?” Eu perguntei.

A tristeza profunda tocou os seus olhos. “Falei sério. Mesmo se partir para Stillwater, amar OSU, e nunca voltar, as minhas memórias das próximas poucas semanas não significarão outro tanto se não estiver nelas. Não quero que você faça promessas que não possa cumprir, Erin… mas agora mesmo, posso dizer que estaria de acordo com uma mentira. Minta para mim. Vamos fazer esse lance de baile de formatura, comemorar a formatura como pessoas loucas e ter o melhor Verão de todos os tempos. Bem, vamos subir nessa montanha russa, nos divertir e fingir que isso nunca vai terminar.”

“Ainda improvisando?”

Um canto da minha boca se puxou para cima, mas o maxilar tenso.

“Não,” ele disse. “Você sempre foi o plano. Sempre será você.”

Eu me dirigi a sua cabeceira e inclinei para baixo. Parando apenas brevemente dos seus lábios, procurei seus olhos para uma promessa ou um sinal de que ele de alguma forma pudesse ver o futuro. Os dedos dele agarraram meus braços quando ele puxou-me os poucos centímetros para tocar sua boca à minha.

Um dia, ele me deixaria ir, mas não naquele momento. Dezoito anos, com uma vida inteira pela frente, ele estava me pedindo para perder-me na última cena da minha adolescência, me perder em algum lugar no verão para nós. Eu já estive à deriva toda a minha vida, e o que ele estava me pedindo agora era particularmente assustador.

Embora, quando Weston dizia coisas assim, o que eu sempre queria era não pensar em nada.

“Babe?” ele sussurrou, procurando os meus olhos. O bip no monitor detectou um pouquinho de alteração.

Se for ingenuidade ou uma esperança tola pensar que éramos o tipo de pessoas que viviam nesse universo paralelo onde o amor colegial poderia durar, eu só não queria acreditar. Eu queria confiar nele, mesmo que fosse apenas até Agosto.

“Tá certo”, eu disse.

Oferecendo apenas um meio sorriso em resposta, a palma de sua mão se estabeleceu na parte de trás do meu cabelo desarrumado, e me puxou para perto até que seus lábios tocaram os meus. Sua língua entrou na minha boca — dançando com a minha, lento e doce — quando ele selou a promessa que acabamos de fazer, e então ele me puxou para a cama.

Seu nariz encostou contra meu pescoço, e riu, imune a qualquer um que pudesse ouvir. Ele estava me segurando de perto e estava relaxado, aliviado e talvez ainda sentindo os efeitos da sedação.

Uma batida na porta nos fez parar, e então eu me virei para ver o Dr. Shuart ali, sob um casaco branco e blusa de lã com gola.

“E como o Sr. Gates está nesta manhã?” ele perguntou, andando com uma enfermeira. “Vou dar um palpite e dizer que você está muito bem.”

Meu rosto ficou vermelho mais uma vez, eu me encolhi de volta para a cadeira no canto. Weston não ficou incomodado. Ele tinha um sorriso no rosto.

“Esta é Dacia,” disse Dr. Shuart virando um pouco o ombro na direção dela.

Dacia acenou para mim e sorriu como uma saudação para Weston. Então, ela voltou a rabiscar no fichário aberto que ela segurava. “Weston é nosso último paciente, doutor. Você tem dez minutos para voltar para o consultório antes da sua primeira consulta, então não pare lá em baixo para conversar, vá direto,” ela disse em um tom maternal.

Dr. Shuart virou as costas para ela e levantou as sobrancelhas uma vez. “Ela é o capataz do chicote. Me mantém na linha.”

“Alguém tem que ser”, ela murmurou, continuando a escrever.

Eu sentei na cadeira estofada, retirando meu telefone e mando um texto para Veronica, enquanto Dr. Shuart conversava com Weston. Eles discutiram as suas prescrições e Dr. Shuart explicou que Weston precisaria de um tratamento mais exercícios de respiração antes de sua alta.

O médico e Dacia disseram-me adeus antes de sair do quarto e meu telefone tocou.

“Sua mãe quer que eu peça ao médico para voltar em 15 minutos,” eu disse. “Aparentemente, a fila de drive-thru é excepcionalmente longa.”

“Ela disse isso?” Weston, perguntou duvidoso.

“Ela poderia ter dito, ‘a maldita fila’.”

“Não acho que Dacia vai aceitar.”

“Eu acho que você tem razão,” eu disse, enchendo meu bolso de trás com meu celular. Olhei para meu relógio.

“Você vai trabalhar hoje?” Weston perguntou.

“Cabeleireira com Julianne. Mas eu vou cancelar.”

“Você já cancelou uma vez. Vá em frente. Não quero você me olhando naquele estúpido nebulizador, enfim. Eu vou me sentir ridículo.”

“É só daqui a uma hora. Estou ansiosa para os biscoitos e molhos.”

“Tem medo que minha mãe vá ficar puta com você me deixando aqui sozinho, não é?” Ele sorriu.

“Isso também.”

Meu telefone tocou novamente. Puxei do meu bolso, li a mensagem e então deixei o telefone no meu colo.

“Quem era?” Weston pediu.

“Julianne, lembrando-me sobre o compromisso.”

Verônica entrou com dois sacos plástico, exasperada. Levantei-me para ajudá-la, mas meu celular caiu no chão.

“Uh-oh!” Veronica disse.

Virei e suspirei de alívio quando eu vi que a tela ainda estava intacta. Dei um passo em direção a Veronica, mas ela me enxotou, então sentei na cama com Weston. Ela entregou a cada um de nós um recipiente de isopor com uma tampa fechada e um pacote repleto de talheres de plástico e um guardanapo.

Uma vez que a tampa estava aberta e com um garfo na mão, Weston atacou, voraz. Eu me esforcei com a faca de plástico, quando tentei cortar os biscoitos, então levei o dobro de tempo para terminar, mas não me importei.

O molho era cremoso e apimentado e meu paladar estava cantando louvores aos deuses da culinária do sul, e em quem tinha pensado e aperfeiçoado a combinação de gordura, farinha e leite.

Veronica levou nossos recipientes vazios e eles lotaram a lata de lixo pequena ao lado da porta.

Peguei minha carteira e telefone.

“Você está indo embora?” ela perguntou.

Weston respondeu por mim, “Ela tem uma hora no cabeleireiro com Julianne. Eu não a deixaria cancelar.”

“Claro que não”, disse Veronica. “Criei você”.

Eu ri e comecei a andar para a porta, mas Weston inflou sua bochecha. Apressei-me para dar-lhe um beijinho, mas ele se virou e me beijou na boca, delicadamente segurando meu pulso para que eu continuasse lá por um tempo.

Pela segunda vez naquela manhã, minhas bochechas queimaram com embaraço. Meus olhos não fixaram em Veronica quando saí.

Quando dobrei a esquina, a Verônica repreendeu seu filho, “Você a convidou, né?”

Eu fiz uma pausa e então pressionei contra a parede do lado de fora. Estava quieto por alguns segundos, e depois fiquei tensa para ouvir a resposta de Weston.

“Eu já a convidei, mãe.”

“É oficial?”

“Sim, nós vamos ao baile.”

“E?”

“Não sei. Não me pergunte sobre Erin, mamãe. É esquisito”. Depois de uma pausa curta, continuou,

“Ouvi você contar, a propósito.”

“A história do ursinho de pelúcia? Sinto muito. Não consegui evitar.”

“E a outra.”

“Sobre você se referindo a ela como sua futura noiva?”

Veronica murmurou alguma coisa.

Em seguida, Weston falou novamente, “Está tudo bem. Estou feliz que ela saiba.”

“Então, foi isso mesmo. Você quis dizer Easter.”

“Este não é mais o nome dela mãe, mas sim é ela.”

Eu ouvi a cama ranger.

“Espero que saiba o que está fazendo, filho.”

“Pare”, advertiu Weston.

“Não quero que nenhum de vocês se machuque,” ela disse sinceramente.

“Só vou aguentar até ela ir, mãe. Isso é tudo que posso fazer.”

Veronica não respondeu, então fui em direção ao elevador, tentando não tropeçar em suas palavras no caminho.

E aqui acaba nosso Especial: Happenstance. Em breve voltaremos com um novo especial de mais um livro da Jamie. Esperamos que tenham gostado e que peçam MUITO para que a Verus Editora publique essa série no Brasil. Afinal, Jamie McGuire vai além dos irmãos Maddox.

Postado por Bianca Maddox Resenha – Belo Funeral

O tão aguardado — e temido — lançamento de Belo Funeral é no dia 08/05!

Sinopse: Onze anos depois de fugir para se casar com Abby em Las Vegas, o agente especial Travis Maddox faz a justiça chegar até o chefão da máfia Benny Carlisi. Agora o clã mais antigo do crime organizado da cidade está determinado a se vingar, e todos os membros da família Maddox se tornam alvos em potencial.

O segredo que Thomas e Travis guardaram por uma década será finalmente revelado, e pela primeira vez os Maddox vão se desentender. Embora todos eles já tenham experimentado a perda em algum ponto da vida, a família cresceu, e os riscos agora são maiores do que nunca.

Com os irmãos brigando entre si e as esposas se vendo obrigadas a tomar partido, cada membro da família terá de fazer uma escolha: deixar o medo separá-los ou torná-los mais fortes.

RESENHA:

A investigação dos Maddox sobre Benny Carlisi e o crime organizado foi descoberta, e agora eles lutam não só para colocar os membros da máfia atrás das grades, mas também para proteger sua família.

Belo Funeral reúne todos os membros da família Maddox e é narrado por cada casal da série. Assim, além de podermos matar a saudades de cada personagem, podemos conhecer o seu lado na história.

Nesse livro, a família Maddox está diferente, nem tudo é amor. Nele mostra o que acontece em qualquer família: brigas, decepções, mentiras… Por isso algumas pessoas reclamam da desunião dos irmãos. Dizem que a família foi “destruída”. Mas era de se esperar depois de cada um possuir tantos segredos, certo?

 

Nossos queridos irmãos não são mais os mesmos dos livros anteriores. Estão mais velhos, mais maduros, cada um construiu sua própria família com esposa e filhos. Assim é com nossas protagonistas, que tomam partido de seus maridos em meio a discussões e tentam ferozmente proteger seus filhos do perigo iminente.

E mesmo em meio a tantas mágoas e brigas, a família tenta se manter unida e proteger uns aos outros.

Na minha opinião, a decepção e raiva de alguns fãs para com o livro, veio de um acontecimento que pegou todos de surpresa. A maioria já tinha uma teoria do que iria acontecer, aí vem a BOMBA! E mesmo eu achando esse tal acontecimento desnecessário e muito triste, sei que sem ele o livro não teria o mesmo nível emocional.

Somente o último capítulo é narrado pelo Jim, e nele mostra Diane na e pós gravidez de cada irmão, assim podemos conhecer um pouco sobre a história deles. E mesmo após tantas tragédias, Jamie escreveu um final PERFEITO. Nessa parte, realmente, não tem como colocar defeito! Você lê esse capítulo com um sorriso trêmulo no rosto e olhos cheios de lágrimas.

Belo Funeral é um divisor de águas entre os fãs: há quem gostou e há quem não gostou. Mas fato é que, no final, TODOS ficaram emocionados!

Aconselho você a não tirar conclusões sobre livro com base na opinião dos outros. LEIA O LIVRO e forme sua própria opinião. Belo Funeral surpreende e choca todos os fãs. Mas depende da sua visão dos acontecimentos se você irá gostar ou não.

Postado por Bianca Maddox Capa + Sinopse: BELO FUNERAL

A Verus Editora divulgou a capa brasileira e a sinopse de ‘Belo Funeral’. O livro que envolve toda a família Maddox está previsto para o mês de Abril.

Sinopse:

Perder nunca foi fácil para os Maddox, mas a morte sempre vence…

Onze anos depois de fugir para se casar com Abby em Las Vegas, o agente especial Travis Maddox faz a justiça chegar até o chefão da máfia Benny Carlisi. Agora o clã mais antigo do crime organizado da cidade está determinado a se vingar, e todos os membros da família Maddox se tornam alvos em potencial.

O segredo que Thomas e Travis guardaram por uma década será finalmente revelado, e pela primeira vez os Maddox vão se desentender. Embora todos eles já tenham experimentado a perda em algum ponto da vida, a família cresceu, e os riscos agora são maiores do que nunca.

Com os irmãos brigando entre si e as esposas se vendo obrigadas a tomar partido, cada membro da família terá de fazer uma escolha: deixar o medo separá-los ou torná-los mais fortes.

Belo funeral é o volume mais eletrizante da série Irmãos Maddox e vai manter os leitores grudados nas páginas até o fim emocionante.

Postado por Nicole Steph Resenha – Algo Belo

Mais um livro de Jamie McGuire está chegando ao Brasil pelas mãos da Verus Editora. Desta vez, somos presenteados com a apaixonante história de Shepley e America, intitulada de “Algo Belo”.

Sinopse: America Mason é audaciosa, decidida e apaixonada — mais especificamente por um Maddox: Shepley, primo de Travis e de seus quatro irmãos. Diferentemente dos primos, Shepley é mais um amante que um lutador, mas uma viagem para a casa dos pais de America em Wichita, no Kansas, pode significar o próximo passo no relacionamento dos dois — ou o fim de tudo.

Neste romance ágil e surpreendente, os leitores vão saber mais sobre a história de Shepley e America, o casal que já apareceu em outros livros da série Belo Desastre e deixou os fãs apaixonados. E, é claro, vão reencontrar os personagens mais amados da série: Travis e Abby!

Resenha:

Mais conhecidos como a melhor amiga de Abby, e o primo e melhor amigo de Travis, eles são postos nos papéis de protagonistas, dando a tudo uma nova e esclarecedora perspectiva, que nos faz conhecer mais profundamente dois personagens que já eram bastante queridos.

Bem mais tranquilo do que todos da família Maddox, Shepley se dedica muito aos estudos, é um fiel companheiro para seus amigos e não está em busca de um relacionamento sério, pelo menos não até notar uma certa loira de olhos verdes nos arredores da faculdade.

America é dona de um gênio forte, o que não é nenhum segredo, a garota deixa transparecer desde o primeiro encontro com Shep quem é de verdade, o que só o faz ficar ainda mais cativado. Por diversas vezes mostra um lado mais frágil, principalmente quando se trata de pensar na possibilidade de uma vida sem seu namorado. Ela o ama, mas está constantemente cheia de dúvidas e preocupações com respeito ao presente e ao futuro.

Com cenas quentes e narrações alternadas, não há dúvidas sobre a intensidade de seu relacionamento. Como qualquer outro casal normal, nem tudo são flores, e durante uma viagem em meio à uma crise, o que eles têm é colocado em jogo, e você rói as unhas a cada linha para descobrir como tudo terminará.

O livro não narra apenas um momento na história da família, mas se passa em diferentes cronologias da linha do tempo, o que permite ao leitor ver desde quando o casal se conheceu até o grande clímax desse enredo.

O livro foi, definitivamente, uma boa surpresa pra mim, pois não esperava que em menos de 200 páginas tanta coisa pudesse acontecer (uma cena que nós fãs esperávamos há tempos, em especial), e claro, ler sobre os Maddox nunca será demais!

Saiba onde comprar Algo Belo e os demais livros de Jamie McGuire publicados no Brasil pela Verus Editora, aqui.

Resenha: Karoline Veloso

Postado por Bianca Maddox Jamie McGuire atualiza próximos projetos:

Jamie McGuire atualizou seu site com o que está por vir nos seu próximos projetos. Tem livro da Abby Abernathy, novas séries e continuações de livros anteriores! Confira:

ALL THE LITTLE LIGHTS
(Data a ser anunciada)

Um obscuro YA sobre Catherine Calhoun e os segredos assustadores que vivem dentro das paredes de sua casa.

TREX: A NOVEL (CRASH AND BURN SERIES, LIVRO I)
(Primavera de 2017)

Primeiro livro de uma série sobre os Alpine Hotshots.

Incapaz de continuar trabalhando com Thomas Maddox na divisão de San Diego do FBI, Scottie “Trex” Trexler encontra-se recrutado para outro órgão do governo em Estes Park, Colorado. Ele só começa a encontrar a paz e se sentir em casa quando uma noiva em fuga começa a trabalhar na recepção do seu hotel.

Sinopse oficial em breve.

ZEKE: A NOVEL (CRASH AND BURN SERIES, LIVRO II)
(Verão de 2017)

Siga Zeke, um bombeiro da divisão dos Alpine.

Sinopse oficial em breve.

Sem título: A NOVEL (CRASH AND BURN SERIES, LIVRO III)
(Outono de 2017)

Sinopse oficial em breve.

ABERNATHY: A NOVEL (PREQUEL DE BELO DESASTRE – trabalhando no título)
(Data a ser anunciada)

BELA DISTRAÇÃO 2 (trabalhando no título)
(Data a ser anunciada)

A continuação da história de Trenton Maddox e Camille.

RED HILL 2 (trabalhando no título)
(Data a ser anunciada)

APOLONIA 2 (trabalhando no título)
(Data a ser anunciada)

SINS OG THE INNOCENT: A NOVELLA (PARTE 2)
(Data a ser anunciada)

Sem título: A NOVEL (OTHER LIVES SERIES, LIVRO I)
(Data a ser anunciada)

Primeiro livro de uma nova série centrada em torno da família Maddox.

Eu não sei vocês, mas pra mim, o primeiro livro de Other Lives será o livro da Jessica Maddox, filho do Travis e da Abby! O que vocês acham? Façam suas apostas! 

Página 1 de 1112345...